Raya e o Último Dragão: nova princesa da Disney quase não foi princesa

Publicado em 05/03/21 05:00

Raya e o Último Dragão: nova princesa da Disney quase não foi princesa

Beatriz Amendola

De Splash, em São Paulo

05/03/2021 04h00

Há uma nova princesa da Disney entre nós: Raya, a personagem-título de "Raya e o Último Dragão". E ela acompanha bem a evolução das princesas do estúdio: não só ela é uma guerreira, como também é a primeira a representar os povos do sudeste asiático, região que serviu de inspiração para o filme.

Raya vive no reino (fictício) de Kumandra, um apanhado de regiões como a Malásia, o Camboja e a Tailândia. Depois que uma força maligna toma conta do lugar, ela precisa encontrar Sisu, o último dragão, para tentar salvar o reino.

É uma história divertida, cativante e cheia de ação.

Continua depois da publicidade

Mas não era certo que Raya fosse mesmo uma princesa.

"No começo, nós só sabíamos que ela seria essa guerreira incrível", diz a Splash a roteirista Adele Lim ("Podres de Ricos").

Divulgação - Divulgação
Pôster de 'Raya e o Último Dragão'
Imagem: Divulgação

No fim, foi decidido que Raya se juntaria, sim, ao time de Bela, Elsa, Moana e companhia. Para a história, fazia sentido, já que isso daria a ela um senso de dever e um fardo maior a ser carregado.

Mas a questão da representatividade também foi levada em conta por Adele, que cresceu na Malásia, e por seu corroteirista, Qui Nguyen ("The Society"), de raízes vietnamitas.

Eu cresci vendo princesas da Disney a minha vida toda, e amava a ideia de Raya ser a próxima, porque elas são figuras inspiradoras para garotas no mundo todo.
Adele Lim, roteirista
Continua depois da publicidade

"Raya foi criada para ser uma líder forte. Ela se importa muito com sua família, sua comunidade e as pessoas ao seu redor, e está fazendo algo para ativamente salvar o mundo. Acho que é um ótimo modelo para meninas e meninos em todos os lugares", completa.

Kelly Marie Tran ("Star Wars - Os Últimos Jedi"), que dubla Raya no original, sabe bem disso.

A palavra 'modelo' vem com muita pressão, mas ser parte de algo que está ampliando a representatividade e também permitindo que as pessoas se vejam em uma escala global, em um filme assim, me deixa muito orgulhosa. Sou muito feliz por fazer parte de algo tão especial.

Amizades e desconfiança

"Frozen", em 2013, fez história ao colocar o foco do filme na relação entre as irmãs Elsa e Anna. Agora, Raya segue esses passos, dando o destaque para o laço que surge entre Raya e Sisu —um dragão fêmea hilário, dublado por Awkwafina ("A Despedida").

Continua depois da publicidade
Divulgação - Divulgação
Raya (voz de Kelly Marie Tran) e Sisu (voz de Awkwafina)
Imagem: Divulgação

As duas não poderiam ser mais diferentes: traída quando ainda era criança, Raya desconfia de tudo e de todos, enquanto Sisu é ingênua e quer resolver os problemas oferecendo presentes aos outros.

Gosto que elas tenham diferentes pontos de vista, mas continuem a aprender uma com a outra. Acho que as duas estão certas, é só encontrar o meio-termo.
Kelly Marie Tran

Awkwafina também acha que o público pode aprender com ambas.

Sisu questiona por que os humanos desconfiam tanto uns dos outros, por que há tanta violência... São coisas que eu queria questionar mais. Acho que o mundo seria um lugar melhor se todos fizessem isso. Mas também há uma lição importante sobre agir com cautela e saber que o outro lado existe.

Continua depois da publicidade

Como ver?

"Raya e o Último Dragão" está disponível no Disney+ até o dia 19 de março, por R$ 69,90. Depois, o filme retorna sem custos no dia 23 de abril.

Fonte: UOL Cinemas