Orçamento, impostos, estratégia: por que o filme 'Batgirl' foi cancelado?

Publicado em 03/08/22 12:00

Nem no cinema, nem no streaming. A Warner Bros. Discovey decidiu que vai engavetar o filme "Batgirl", que já havia sido filmado e estava em fase de pós-produção. A notícia foi um choque tanto para os fãs quanto para os diretores do filme, Adil El Arbi e Bilall Fallah, que segundo o Deadline estavam no Marrocos para o casamento de Adil quando souberam da informação.

Mas o que leva um estúdio a cancelar um filme que custou US$ 90 milhões e já estava quase finalizado? Ou melhor, dois filmes, já que a animação de US$ 40 milhões (R$ 212 milhões, na conversão atual) "Scoob!: Holiday Haunt", sequência da animação de 2020 "Scooby! O Filme", também não verá a luz do dia?

O orçamento inicial de "Batgirl" era de US$ 80 milhões (R$ 424 milhões), e o valor subiu para cerca de US$ 90 milhões (R$ 478 milhões) com os protocolos de segurança contra a covid-19. O filme seria estrelado por Leslie Grace ("Em um Bairro de Nova York") ao lado de astros como J.K. Simmons (na pele do Comissário Gordon), Michael Keaton (retornando como o Batman) e Brendan Fraser, mas nem o valor já investido ou os nomes dos atores envolvidos bastaram para que o estúdio tentasse viabilizar o lançamento do projeto.

Segundo fontes ouvidas pelas revistas Variety e The Hollywood Reporter, o valor era ao mesmo tempo alto demais para o streaming e baixo demais para o cinema.

Apesar de ser um orçamento significativo, o estúdio acredita que não é o suficiente para que o filme crie "o espetáculo visual com o que fãs da DC estão habituados quando compram um ingresso". Ou seja, o resultado visto em exibições-teste não era de um blockbuster de grandes escopos.

A possibilidade de fazer um reinvestimento para aumentar o orçamento e criar tal "espetáculo" também não existe: isso praticamente dobraria o valor, algo que seria inviável para o estúdio no momento.

Mas, então, por que não lançar o filme no streaming? As fontes revelam que o valor seria alto demais para fazer sentido dentro da nova estratégia da HBO Max. A nova liderança da Warner Bros. Discovery não quer filmes de grande orçamento feitos diretamente para o streaming. A ordem, agora, é cortar gastos: o CEO David Zaslav quer economizar US$ 3 bilhões (cerca de R$ 15 bilhões) com a fusão da Warner com o Discovery.

Além disso, outra razão para o engavetamento ao invés de um lançamento alternativo, de acordo com a Variety, está relacionada à redução de impostos.

Ao escolher não lançar os dois filmes, o estúdio provavelmente receberá uma redução nos impostos pagos por ambos, o que é visto internamente como a melhor maneira em custo-benefício para recuperar o que já foi gasto.

Mas, ao fazer isso, a Warner Bros. não poderá monetizá-los de forma alguma, nem mesmo os disponibilizando para aluguel ou vendendo para outro estúdio ou plataforma.

As mudanças na Warner Bros. e na HBO Max

Essa nova estratégia, diferente daquela adotada durante o início da pandemia, quando a Warner Bros. anunciou que lançaria todos os filmes no cinema e na HBO Max ao mesmo tempo, veio após a fusão dos ativos com a Discovery.

Ao contrário da visão adotada pelo CEO anterior, Jason Kilar, o atual comandante da empreitada Warner Bros. Discovery tem reduzido os investimentos na plataforma de streaming, o que tem deixado criadores e investidores em estado de alerta.

Recentemente, a plataforma anunciou que vai interromper a produção de conteúdo original em alguns países da Europa, como Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia, Holanda e Turquia. Novos cortes de produções originais para o streaming estão dentro das possibilidades para os próximos dias e semanas, assim como uma fusão entre as duas plataformas, Discovery+ e HBO Max.

"A decisão de não lançar 'Batgirl' reflete a mudança estratégica da nossa liderança no que diz respeito ao universo DC e à HBO Max", disse um representante da Warner Bros. em comunicado enviado ao THR.

"Leslie Grace é uma atriz incrivelmente talentosa e essa decisão não reflete a sua performance. Estamos gratos aos cineastas de 'Batgirl' e 'Scoob! Holiday Haunt' e seus respectivos elencos, e esperamos colaborar com todos novamente em um futuro próximo"

Outros filmes também podem ser cancelados?

Bruna Marquezine com os pais e a irmã em Atlanta, nos Estados Unidos, onde ela está gravando o filme 'Besouro Azul' - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Bruna Marquezine com os pais e a irmã em Atlanta, nos Estados Unidos, onde ela está gravando o filme 'Besouro Azul'
Imagem: Reprodução/Instagram

Oficialmente, ainda não há informações sobre o que pode acontecer com outros projetos em desenvolvimento para o universo DC Comics, como o filme "Besouro Azul", estrelado por Xolo Maridueña e Bruna Marquezine.

No entanto, nas redes sociais, fãs temem que o projeto esteja entre aqueles que seguirão o mesmo destino de "Batgirl".

Fãs temem cancelamento de 'Besouro Azul' após Warner anunciar cancelamento de 'Batgirl' - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Fãs temem cancelamento de 'Besouro Azul' após Warner anunciar cancelamento de 'Batgirl'
Imagem: Reprodução/Twitter

Fonte: UOL Cinemas // UOL