Charisma Carpenter chama Joss Whedon de “chefe tirano e narcisista”

Publicado em 18/01/22 22:00

Vítimas do comportamento abusivo de Joss Whedon seguem se manifestando contra as falas do cineasta durante uma entrevista publicada pela New York Magazine na última segunda-feira (17). Depois de Ray Fisher, foi a vez de Charisma Carpenter, de Buffy, A Caça-Vampiros, criticar as palavras do cineasta. Em sua conta pessoal no Twitter, a atriz fez uma série de postagens em que, além de chamar o diretor de “antigo chefe tirano e narcisista que ainda não consegue se responsabilizar por seus atos e se desculpar”, declara seu apoio a Fisher e a Gal Gadot.

Fazendo alusão ao fato de Whedon ter dito que foi mal interpretado pela atriz de Mulher-Maravilha por ela não ter inglês como sua língua materna, Carpenter lembrou que, além de inglês, Gadot fala hebráico, árabe e “talvez francês, espanhol e italiano também”. Ao fim da sequência, ela ainda deixou uma mensagem de encorajamento para pessoas que lutam contra dependência química - confira abaixo:

Eu apoio Ray Fisher, ‘a força maligna’ e ‘mau ator em ambos os sentidos’ que envenenou minha mente frágil com palavras da moda e ideias corrompidas sobre minha experiência com um antigo chefe tirano e narcisista que ainda não consegue se responsabilizar por seus atos e se desculpar. Acredito que Gal Gadot entende ameaças à sua carreira não só em inglês, mas também em hebráico e árabe. Talvez em francês, espanhol e italiano também

Para qualquer um lutando contra o alcoolismo (ou qualquer outro tipo de vício) atualmente: nunca é tarde demais para pedir ajuda. Se você está disposto a encontrar tratamento, seja rigorosamente honesto e deixe-se ser ajudado por outros; há uma boa chance de você ser livre para viver sua vida de acordo com suas próprias regras. Com compaixão, humildade e amor no seu coração

Entenda o caso

Em julho de 2020, Ray Fisher acusou Joss Whedon de ter uma postura abusiva no set de Liga da Justiça, dizendo que ele foi apoiado em tais atos por Geoff Johns e Jon Berg, produtores do longa. Algumas semanas depois, o ator disse que estava coletando informações contra o diretor, que recebeu diversas acusações recentemente, incluindo de atrizes de Buffy, de um roteirista de Firefly e das equipes das séries Buffy e Angel.

Em meio a tudo isso, Fisher começou a falar também contra o estúdio, dizendo que o presidente da DC Films, Walter Hamada, pediu para ele "pegar leve" com Geoff Johns em suas queixas. Uma investigação interna foi aberta para apurar as acusações do ator e, em dezembro, a WarnerMedia disse que concluiu o processo e que "ações corretivas" seriam tomadas, sem divulgar maiores detalhes.

Com todo o caso, surgiu a dúvida sobre a volta de Ray Fisher ao papel de Ciborgue nos cinemas. O ator está na versão do diretor Zack Snyder de Liga da Justiça, mas já confirmou que não vai aparecer no filme solo do Flash, como estava previsto.

Whedon assumiu as filmagens de Liga da Justiça depois da saída de Snyder da direção por problemas familiares. A reação negativa em torno do filme estimulou pedidos pela versão original do longa, já que muito material planejado pelo diretor não entrou na versão final. Após muito tempo, a Warner confirmou o lançamento do Snyder Cut, que já está disponível na HBO Max.

Fonte: Omelete // Nico Garófalo