Cena de mortes de morsas em "Nosso Planeta" é criticada; especialistas rebatem

Publicado em 10/04/19 05:00

O final do segundo episódio de "Nosso Planeta", documentário da Netflix, tem uma sequência de imagens que tem causado polêmica. Registrado no nordeste da Rússia, o vídeo mostra dezenas de morsas caindo de desfiladeiros e uma série de animais mortos após a queda.

O documentário, dirigido Alastair Fothergill e narrado por David Attenborough, constrói um argumento que culpa o aquecimento global pelo comportamento das morsas em questão. Sem gelo, elas estariam se arriscando nos barrancos de pedra e acabariam morrendo ao cair dos desfiladeiros quando tentavam retonar ao mar.

"A cena das morsas foi uma das coisas mais difíceis que tive que testemunhar em minha carreira", disse a produtora Sophie Lanfear ao jornal The New York Times. Mas há especialistas que estão rebatendo a narrativa de "Nosso Planeta".

"Pornô da tragédia"

Susan Crockford, zoóloga canadense da Universidade de Victoria, no Canadá, rebate de forma enfática o argumento do documentário, ao qual se refere como "pornô da tragédia".

"Essa história é uma ficção e de uma manipulação emocional em seu pior estado", disse a especialista ao site britânico The Telegraph. "Aquelas morsas quase certamente foram perseguidas e assustadas por ursos polares, e não por que estavam sem gelo e enxergam mal", disse ela, que cita um evento da mesma região e ocorrido na mesma época da captação do documentário. No Siberian Times, uma reportagem narra como cerca de 20 ursos perseguiram morsas e as fizeram cair de penhascos, assim como em "Nosso Planeta".

"Mesmo que a filmagem não seja do mesmo incidente, as morsas chegam sim neste topos de penhascos e acabam caindo por se assustarem com ursos, pessoas ou até aviões. Depois disso os ursos chegam até a parte debaixo e se alimentam das carcaças que estão lá", continuou.

Patrick Moore, co-fundador do Greepeace, também concordou com Susan. "É ridículo eles descreverem isso como 'mudança climática'. A próxima coisa serão baleias pulando de penhascos que não deveriam ter escalado. Talvez seja uma piada atrasada de 1º de abril", escreveu ele no Twitter.

Netflix se defende

Procurada pelo TMZ, a Netflix defendeu o documentário e afirmou que a equipe de "Nosso Planeta" trabalhou com o biólogo Anatoly Kochnev, que estuda morsas há 36 anos.

Jamie McPherson, um dos cinegrafistas do documentário, reforça que não viu ursos polares durante o ocorrido. "Elas não estavam fugindo, elas estavam se arrastando calmamente até caírem.

A polêmica cena está diponível na Netflix no segundo episódio de "Nosso Planeta", que conta com 8 capítulos em sua primeira temporada.

Fonte: UOL Cinemas // Osmar Portilho