David Schürmann

A família Schurmann é uma família brasileira famosa por velejar ao redor do mundo. É composta por Vilfredo Schurmann e Heloísa Schurmann, e seus filhos Pierre Schurmann, David Schurmann, Wilhelm Schurmann e Kat Schurmann (filha do casal, nascida na Nova Zelândia em 1992). Foi a primeira família brasileira a circunavegar o mundo em um veleiro, sendo também uns dos pouquíssimos cidadãos brasileiros que já estiveram em alguns dos lugares mais remotos da Terra, tais como a ilha de Santa Helena, as Ilhas Pitcairn e o Território Britânico do Oceano Índico.Partiram de Florianópolis em 1984 e passaram dez anos velejando pelos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Os filhos cresceram a bordo, estudando por correspondência. Wilhelm foi o único dos filhos que permaneceu dez anos inteiros no veleiro. Em 1988, Pierre decidiu estudar Administração de Empresas nos Estados Unidos, onde morou até 1994. David desembarcou na Nova Zelândia em 1991, graduando-se em Cinema e Televisão.

O sonho de refazer a rota do navegador português Fernão de Magalhães nasceu antes mesmo dos Schurmann retornarem ao Brasil da primeira viagem em 1994. Foram três anos de planejamento para o projeto: a expedição Magalhães Global Adventure. Em 23 de novembro de 1997, a família, no veleiro Aysso, iniciou essa nova volta ao mundo, dessa vez com a pequena Kat Schurmann, filha caçula do casal Shurmann, de apenas cinco anos de idade. A Família Schurmann percorreu 32.657 milhas (ou 60.481 quilômetros), durante 912 dias, passando por 48 portos, 31 ilhas, 19 países e nove territórios. A expedição foi acompanhada em 44 países, pela internet.A última etapa da circunavegação foi o trajeto Lisboa-Porto Seguro na rota de Pedro Álvares Cabral, dentro das comemorações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil.

Em 2004, a família Schurmann completou vinte anos de aventuras. Nessas duas décadas visitaram os lugares mais remotos e marcantes do planeta, tendo passado também por momentos tensos, tais como ondas superiores a dez metros, e ventos de 120km/h na Nova Zelândia. Mas também conheceram paisagens maravilhosas, fizeram grandes amigos e viveram experiências incríveis. Para celebrar esses vinte anos de história no mar, a família Schurmann navegou de Florianópolis até Fortaleza, Ceará. Nessa terceira expedição, a única realizada exclusivamente na costa brasileira, a família Schurmann reencontrou amigos e voltou a locais importantes que marcaram sua trajetória.

Em 2011, participou da descoberta dos destroços de um submarino alemão afundado em águas territoriais do Brasil, durante a Segunda Guerra Mundial.Em 2015 a bordo de seu mais novo veleiro, o Kat, a família atravessou os mares na “Expedição Oriente” inspirada por uma polêmica teoria: teriam os exploradores chineses sido os primeiros a navegar ao redor do mundo, conhecendo lugares como Caribe, América do Sul e Antártica, décadas antes dos europeus até mesmo antes de Colombo? A expedição buscou investigar as evidências desta teoria ao refazer as supostas rotas dos navegadores chineses do século XV.

A ideia da Expedição Oriente surgiu após o estudo da história do navegador português Fernão de Magalhães, conhecido por idealizar, no século XVI, a primeira viagem ao redor do globo, que afirmava ter dados sobre diferentes rotas marítimas que não constavam nos documentos oficiais da época. Para tentar desvendar este mistério, a Família Schurmann viajou por mais de dois anos. Foram 812 dias no mar e quase 50 escalas feitas até o retorno ao ponto de partida: Itajaí, Santa Catarina. Ao todo, o veleiro Kat navegou cerca de 50 mil quilômetros, passando pelos quatro oceanos.