Terry Crews sobre assédio: "Se contasse para a polícia, teriam rido na minha cara"

Publicado em 05/07/19 21:00

O ator Terry Crews, mais conhecido por Todo Mundo Odeia o Chris e Brooklyn 9-9, declarou que contar publicamente sobre o caso de assédio sexual que sofreu em 2016 foi decisivo em sua vida. E a culpa disso foi do movimento #MeToo.

"[O caso aconteceu] Antes do #Metoo. Se eu contasse para a polícia [na época], teriam rido na minha cara. Aquele foi um tempo em que as pessoas acreditaram que homens não poderiam ser assediados. Seria impossível que alguém acreditasse", disse o ator durante o Essence Festival.

"Uma coisa que muitos não entendem sobre o movimento é que acham que as vítimas se mobilizam para conseguir dinheiro, se aproximam para obter fama. O negócio é que você é pago apenas pelo silêncio", disse Terry.

"É muito importante entender que, quando as pessoas estão dizendo a verdade, é uma maneira de libertar uma nação inteira de pessoas que estão sofrendo", acrescentou.

O ator foi ao Twitter no dia 8 de outubro de 2017 revelar que durante uma festa um "executivo do alto escalão de Hollywood" agarrou suas partes íntimas. O caso aconteceu na frente de sua mulher. "Pulando para trás, eu disse, 'O que você está fazendo?' Ele apenas sorriu como um idiota", escreveu Crews na época.

Em dezembro do mesmo ano, Crews entrou na justiça contra Adam Venit. A WME fez uma investigação sobre o caso e tirou Venit do cargo de executivo da empresa, "rebaixando-o" apenas para agente. Apenas depois de quase um ano a agência quebrou vínculo com o executivo.

Desde então, o ator é um dos principais combatentes aos abusos sexuais do setor e seu objetivo é ajudar a "desmontar o sistema conivente" que existe em Hollywood.

Fonte: UOL Cinemas // Rodolfo Vicentini