José Padilha volta a criticar Moro e diz que ministro virou "moeda de troca"

Publicado em 07/05/19 12:00

O diretor José Padilha voltou a criticar o ministro Sérgio Moro e disse que ele se tornou uma "moeda de troca" no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Durante evento para promover a nova temporada de "O Mecanismo", série da Netflix inspirada na Operação Lava Jato, o cineasta afirmou que o ministro, que era o juiz responsável pelas investigações, acabou sendo usado pelo governo.

"Salame fatiado"

"O Bolsonaro não tem maioria no congresso e está negociando para aprovar as reformas", disse Padilha. "E ele está usando o Moro como moeda de troca. Moro saiu de herói nacional para salame fatiado e entregue para o centrão para provar a reforma da previdência. É assim que vejo o futuro da Lava Jato".

"Se [Moro] for inteligente, deve estar arrependido das escolhas que fez", completou.

Em artigo para a Folha, em abril, Padilha afirmou que o pacote de Moro contra o crime fortalece milícias. "Vai estimular a violência policial, o crescimento das milícias e sua influência política. Sergio Moro foi de "samurai ronin" a "antiFalcone". Seu pacote anticorrupção é, também, um pacote pró-máfia", escreveu o diretor.

Goleiro Bruno

Questionado sobre o retrato que a série faz de Moro, personificado no personagem Paulo Rigo, Padilha evocou uma comparação com o goleiro Bruno, e disse que a ficção segue uma linha do tempo semelhante à da vida real.

"Quando o Bruno agarrava os pênaltis, eu não podia criticá-lo pelo homicídio que não aconteceu antes. A mesma coisa vale pro Moro. Eu estou contando as coisas que ele fez no começo da Lava Jato. Na primeira temporada a gente não cobre o vazamento da conversa do Lula com a Dilma, porque não tinha acontecido ainda, mas colocamos isso na segunda temporada".

"O PT roubou"

Padilha também deixou claro o que pensa da política atualmente. "Eu sou antipetista, sou antipessedebista e antipeemedebista. O Lula não escreveu "O Capital", não é Karl Marx. Ele traiu a esquerda ao apresentar um projeto que foi bom, mas ao mesmo tempo claramente entrou no mecanismo. Alguém aqui acha que o Palocci não roubou? Acha que o Dirceu não roubou? Eu não sou antiesquerda, sou antipetista porque o PT roubou", disse o diretor.

"Quem elegeu o Bolsonaro foi o fato de a esquerda não entender o antipetismo. O Haddad era o candidato do Lula, que estava enfiado na Lava Jato. Era um candidato inviável", completou Padilha.

Ele também fez uma previsão pessimista para o país após a eleição de Jair Bolsonaro. "Não sei se o Brasil vai durar 100 anos, com esse governo..."

A segunda temporada

O Mecanismo volta para a segunda temporada nesta sexta-feira, na Netflix. Os novos episódios se passam após a força-tarefa liderada por Verena (Caroline Abras) prender 12 dos 13 principais empreiteiros do Brasil. O alvo da nova temporada é o maior de todos eles, Ricardo Brecht (Emilio Orciollo Netto).

Já Ruffo, o policial aposentado interpretado por Selton Mello, segue agindo fora da lei em sua busca por Ibrahim (Enrique Diaz), e cada vez mais afastado de sua esposa Regina (Susana Ribeiro) e da filha Beta (Julia Svaccina).

Fonte: UOL Cinemas // Beatriz Amendola