Chris Evans fala sobre rumores de aposentadoria e critica Donald Trump

Publicado em 27/03/19 13:00

O ator Chris Evans, que interpreta o Capitão América nos cinemas, disse em entrevista à revista The Hollywood Reporter que pretende no futuro se dedicar à direção de filmes, num projeto para daqui a cinco anos.

De acordo com a reportagem, ele estaria procurando por um bom roteiro, porém bons roteiros costumam ir para grandes diretores e não para estreantes como ele. O ator também comentou sobre os rumores de uma provável aposentadoria da atuação.

Em seu currículo, ele já tem o romance independente "Before We Go", que arrecadou US$ 37.151 nos cinemas em 2014, cerca de 0,01% do que Guerra Infinita fez na semana de estreia.

O artista estará no próximo filme dos Vingadores, "Ultimato", com previsão de estreia no Brasil para o dia 25 de abril.

Ele já viu a 1ª hora de "Ultimato"

Ainda na entrevista, Chris Evans revelou que já assistiu à primeira hora de "Vingadores: Ultimato" e revelou que o destino do Capitão América ainda é incerto. Sem revelar muito, ele disse que o resultado é "de um bom filme. Muito bom. Eu vi a primeira hora disso".

O ator contou que não sabe como poderiam ter feito um trailer, já que muito do filme é um "spoiler visual". Evans disse ainda que vai pedir para a produção o uniforme completo do Capitão América para guardar de recordação. "Chris Hemsworth pegou o uniforme completo. Eu também quero".

Morte do Capitão América?

Chris Evans também falou sobre uma provável aposentadoria do Capitão América e da "morte" do personagem nos cinemas. "É difícil ver minha própria morte", disse o ator rindo. "Vai ser um filme longo, com certeza. O primeiro corte teve mais de três horas. Meu funeral vai ter uma hora", brincou.

"Parece-me simbolicamente significativo que - a julgar pelos trailers - 'Ultimato' comece com Tony Stark perdido no espaço e o Capitão na Terra liderando uma resistência", disse o ator.

Política no Twitter

Na entrevista, Chris Evans falou também de sua atuação no Twitter, de uma forma que atores de seu calibre não costumam ser. Nas redes, ele chegou a fazer campanha para Hillary Clinton em 2016 mas ainda não decidiu seu candidato em 2020.

"Você não quer alienar metade de seu público", disse Evans. "Mas eu ficaria desapontado comigo mesmo se não falasse. Especialmente por medo de alguma repercussão monetária ou dano à minha carreira. Isso só parece muito nojento para mim".

Chris Evans também falou sobre o jogador de futebol americano Tom Brady, marido de Gisele Bündchen, que em 2015 declarou apoio a Donald Trump. "Eu realmente espero que ele não seja um defensor do Trump. Só espero que ele seja um daqueles caras que o apoiou e agora se arrependeu. Talvez ele tenha pensado diferente. Isso me incomoda, mas talvez ainda haja uma chance de ele ver que o Trump é uma merda absoluta".

Fonte: UOL Cinemas // Felipe Branco Cruz