Alec Baldwin contrata ex-promotor federal em processos por morte no set de 'Rust'

Publicado em 26/11/21 23:00

O ator Alec Baldwin contratou um ex-promotor federal dos Estados Unidos para representá-lo nos processos civis pelo disparo que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins no set de "Rust", filme que ele produzia e estrelava.

Aaron S. Dyer, um advogado que trabalhou por sete anos na Procuradoria-Geral da Califórnia, em Los Angeles, assumirá a defesa de Baldwin e também da produção do faroeste de baixo orçamento, segundo a revista especializada Variety. Dyer não respondeu aos pedidos de comentários da AFP.

O filme era gravado em um set do Novo México quando, durante um ensaio em 21 de outubro, a cineasta Halyna Hutchins morreu por um ferimento a bala depois que Baldwin disparou uma arma entregue a ele como "fria", jargão cinematográfico que se refere a uma arma de fogo descarregada.

Dois membros da equipe processaram Baldwin e os outros produtores do longa-metragem.

Serge Svetnoy, o diretor de iluminação do filme, apresentou há duas semanas uma denúncia de "negligência" contra o ator, a produção e Hannah Gutierrez-Reed, a armeira de 24 anos responsável pelas pistolas usadas durante as filmagens.

Svetnoy alega que Baldwin, o diretor assistente Dave Halls - que entregou a arma ao ator -, e Gutierrez-Reed não seguiram as práticas da indústria cinematográfica no manuseio das armas e "permitiram que um revólver carregado com munição real fosse apontado a pessoas vivas".

Uma semana depois, Mamie Mitchell, a roteirista do filme, entrou com outra ação judicial contra os três. Mitchell disse que sofreu "estresse emocional" e outros distúrbios pelos danos "causados intencionalmente" pela produção.

"Os eventos que levaram ao disparo de uma arma carregada pelo senhor Baldwin não são mera negligência", advertiu a advogada da roteirista, Gloria Allred. "Baldwin optou por jogar a roleta russa quando acionou uma arma sem a ter verificado e sem que o armeiro o tivesse feito na sua presença".

O acidente

A diretora de fotografia, Halyna Hutchins, morreu no dia 21 de outubro, vítima de um disparo acidental feito por Alec Baldwin que, em tese, deveria ter usado uma arma cenográfica, mas, segundo os investigadores do caso, a munição que estava dentro da pistola era real. A diretora chegou a ser socorrida de avião para o Hospital da Universidade do Novo México, mas não resistiu e morreu em decorrência dos ferimentos. Até o momento, ninguém foi indiciado.

Além de Halyna, o ator também feriu o diretor do filme, Joel Souza, de 48 anos, que logo após o acidente teve alta do hospital.

Fonte: UOL Cinemas // UOL