Tirando o 'hype', Disney+ é mais um empilhado de filmes que não vamos rever

Publicado em 18/11/20 13:00

Tirando o 'hype', Disney+ é mais um empilhado de filmes que não vamos rever

Mickey Mouse no clássico 'Fantasia', de 1940
Mickey Mouse no clássico 'Fantasia', de 1940
RDB/ullstein bild via Getty Images

Osmar Portilho

De Splash, em São Paulo

18/11/2020 12h12

Em inglês, hype é usado quando se cria expectativa exagerada por algo. Uma moda. E o Disney+ desembarcou no Brasil cheio desse hype: anúncios pipocando de todos os lados, uma comoção sem fim nas redes. Mas fora isso, vamos combinar: é só mais um serviço de streaming como qualquer outro. E caro.

O impacto inicial do Disney+ vem com os logotipos de suas franquias mais poderosas na página inicial: Disney, Pixar, Marvel e Star Wars. Mas, com exceção do original "The Mandalorian" ou talvez o novo "A Dama e o Vagabundo", todos os outros títulos já são velhos conhecidos da "Sessão da Tarde".

Continua depois da publicidade

Você de novo, Kevin?

1992 - Macaulay Culkin voltou a interpretar o garoto Kevin McCallister dois anos depois em "Esqueceram de Mim 2 - Perdido em Nova York". Ao invés de ficar sozinho em casa, Kevin foi parar em Nova York, enquanto a família foi tirar férias em Miami - Divulgação/Columbia Pictures - Divulgação/Columbia Pictures
Imagem: Divulgação/Columbia Pictures

Eu preciso de um catálogo tão grande mesmo?

A corrida pelo streaming e a publicidade frenética das gigantes do entretenimento enfiaram em nossa cabeça essa necessidade nostálgica pelo famigerado catálogo.

Nós caímos.

Criamos essa ilusão de que queremos um cardápio enorme de filmes.

E agora ficamos minutos e minutos com o controle ou o mouse dando scroll por tantos filmes já vistos.

É aquela sensação dos anos 1990 de entrar em uma videolocadora e andar pelos seus corredores empoeirados e sem novidades.

Caso não seja dessa época, em vez de ver páginas de títulos na tela, a gente procurava filmes assim.

locadora - Picture alliance via Getty Images - Picture alliance via Getty Images
Imagem: Picture alliance via Getty Images
Continua depois da publicidade

Será que eu vou ver "Esqueceram de Mim" por vontade própria? Ou é melhor esperar aparecer na "Sessão da Tarde" agora antes do Natal?

Poxa, mas e "Vingadores: Ultimato". Sério? Três horas de filme? Melhor só pular direto para rever o estalo.

"Piratas do Caribe"? Já já tá na "Tela Quente" de novo.

Hoje não, Jack. Obrigado.

Cena de "Piratas do Caribe: O Baú da Morte" - Divulgação - Divulgação
Cena de "Piratas do Caribe: O Baú da Morte"
Imagem: Divulgação

O fato é que a chegada de mais um competidor de streaming coloca ali mais um boletinho no fim do mês: R$ 27,90.

São tantos jogadores querendo uma fatia da nossa atenção —e da grana— que ficou mais difícil priorizar: quero um catálogo de clássicos, séries originais ou aquele filme específico?

E quem é você nessa guerra do streaming? Diga aí nos comentários!

Fonte: UOL Cinemas