Tarantino acha que cinco anos é boa idade para filho assistir a Kill Bill

Publicado em 22/07/21 16:00

Se, para muitos, a sangrenta filmografia do diretor Quentin Tarantino é violenta demais para ser exibida para crianças, o próprio cineasta parece discordar. Em entrevista concedida ao Deadline, ele se mostrou confiante que seu filho Leo, nascido em 2020, estará pronto para encarar a obra do pai dentro de poucos anos.

"Se estivermos julgando por mim, eu vi muito coisa bem cedo, quando foi lançada, sabe, então eu diria que [Leo começará a assistir a filmes maduros] cedo. Se eu tiver de imaginar, acho que ele vai ficar mais interessado em assistir a Kill Bill em algum ponto entre cinco, seis ou sete anos", disse o diretor.

Tarantino justificou citando a própria experiência enquanto espectador precoce de filmes mais violentos e densos. "Durante todo o período da Nova Hollywood [fim da década de 1960 e início década de 1970], eu estava assistindo a esses filmes com seis, sete anos de idade. Eu vi À Queima-Roupa quando saiu, em 1968, quando tinha entre seis e sete. Todos os filmes exaltados da Nova Hollywood, esses foram os filmes que cresci vendo, e que são uma boa parte do que fala meu próximo livro", afirmou Tarantino.

O próximo livro será o lançamento editorial que se seguir à novelização de Era Uma Vez em... Hollywood (2019), expansão escrita sobre o último filme do dcineasta até o momento. Tarantino afirmou que abandonará a carreira no cinema após seu próximo trabalho na direção, dedicando-se de vez à ocupação como escritor.

Apesar de já ter cravado essa aposentadoria, entretanto, Tarantino ainda não decidiu qual será o seu último filme. Ele chegou a considerar fazer um remake do seu sucesso Cães de Aluguel, mas voltou atrás.

Fonte: Omelete // Eduardo Pereira