Quênia bane filme com história de casal gay: 'Afronta à cultura'

Publicado em 23/09/21 16:00

O Quênia proibiu um filme que retrata a história de um casal gay afirmando que a produção é uma "afronta à cultura e identidade". As informações são do Daily Mail.

A obra em questão é o documentário chamado "I Am Samuel", lançado em 2020 e dirigido por Peter Murimi.

Segundo o tabloide britânico, o KFCB (Conselho de Classificação de Filmes do Quênia) afirmou que o documentário buscava propagar "valores que estão em dissonância com nossa constituição, valores culturais e normas."

Pior ainda, a produção está rebaixando o cristianismo, já que dois gays no filme pretendem conduzir um casamento religioso invocando o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. disse o chefe do KFCB, Christopher Wambua

"I Am Samuel" é o segundo filme que aborda a temática a ser proibido no país. O primeiro veto aconteceu com "Rafiki" (2018), que retrata uma história de amor entre duas mulheres.

O Quênia está na lista de países que têm leis que criminalizam a homossexualidade. Em maio de 2019, inclusive, o tribunal superior do país decidiu pela manutenção das leis que criminalizam atos homossexuais.

Confira o trailer de "I am Samuel":

Fonte: UOL Cinemas // UOL