InSUBs: site de legendas anuncia o fim após 12 anos e gera comoção

Publicado em 24/01/20 05:00

Nesta semana, uma "season finale" surpreendeu os amantes de séries e filmes. O site de legendas InSUBs anunciou o fim de suas atividades após quase 13 anos, deixando muitos fãs tristes e gratos pelo serviço voluntário —baseado em download ilegal— de tradução de episódios de produções que, muitas vezes, demoravam meses para chegar ao Brasil.

O post de despedida, publicado no Facebook na última segunda-feira (20), recebeu mais de 23 mil reações, a maioria com emojis chorando. "Tenho perda auditiva e as legendas são fundamentais", agradeceu um usuário do site. "Nem todo herói usa capa", brincou outro seguidor da página do InSUBs, exaltando a dedicação dos tradutores para legendar séries inéditas no Brasil.

A comoção pela despedida do site não é à toa. Pioneiro na tradução de séries em larga escala, o InSUBs introduziu muitas pessoas sem acesso a canais fechados e sem inglês fluente e promoveu a inclusão para deficientes auditivos com a ajuda das legendas. De Grey's Anatomy aos super-heróis, o site acumulou mais de 350 produções adaptadas para o português e mais de 12 milhões de downloads.

Nos últimos anos, porém, o streaming e a redução do intervalo de exibição das séries afastaram voluntários para produzir as legendas. O InSUBs, que chegou a ter mais de mil colaboradores, encerra as atividades com 192 membros, entre tradutores, revisores e os administradores como Penélope C., responsável pelo texto de despedida do site.

"O número de pessoas realmente ativas na equipe foi diminuindo e a renovação não acontecia mais com o mesmo ritmo de antes. A facilidade de assistir a séries por streaming e os canais de TV a cabo passando episódios cada vez mais rápido também colaborou. Legendar é um processo trabalhoso, e muita gente desiste depois de passar uma tarde inteira para conseguir legendar dez minutos de vídeo", explica a administradora do InSUBs ao UOL.

As páginas de legendagem surgiram da insatisfação de fãs de séries que esperavam meses para sua produção favorita ser exibida no Brasil. A demora estimulou a pirataria, e sites como o InSUBS passaram a ser vigiados e até impedidos por grandes corporações. Para a administradora do site, o download ilegal de séries e o trabalho colaborativo dos tradutores transformou o mercado audiovisual.

"Vários canais de TV a cabo diminuíram muito o tempo de espera entre uma série sair nos Estados Unidos e depois passar no Brasil. Game of Thrones, por exemplo, era transmitido ao mesmo tempo nos dois países. Algumas séries que chegavam com meses de atraso passaram a ser exibidas com apenas uma semana de diferença. Sim, acreditamos que vários canais mudaram suas políticas de transmissão de conteúdo por causa das equipes de legenda", analisa Penélope, que ressalta a inclusão social proporcionada pelo trabalho voluntário de legendagem.

Uma das coisas que nos motivou a continuar fazendo legendas é a democratização do acesso à cultura. De uma forma ou de outra, o tempo que nós dedicamos a criar legendas para séries e filmes é recompensado quando pensamos na quantidade de pessoas que podemos impactar com isso

"Uma das coisas que nos motivou a continuar fazendo legendas é a democratização do acesso à cultura. De uma forma ou de outra, o tempo que nós dedicamos a criar legendas para séries e filmes é recompensado quando pensamos na quantidade de pessoas que podemos impactar com isso. Muitas pessoas com deficiência auditiva nos agradeceram ao longo dos anos pelas legendas que produzimos. Pessoas com dificuldade motora que passavam grande parte do tempo em casa e que se permitiam viajar através das séries. Pessoas com depressão que tinham nas séries uma válvula de escape. Pessoas de baixa renda que não teriam como consumir este material de outra forma. Pessoas que se juntavam com a família para assistir a uma série e acabavam fazendo deste um momento importante de convívio. E isso sem falar nas centenas de 'legenders' que na equipe conseguiram melhorar o inglês e o português e que nela acabaram encontrando uma segunda família."

De hobby à profissão

Os "legenders" (como são chamados os colaboradores) utilizavam um programa específico para legendar os episódios e precisavam seguir regras, como respeitar a quantidade de caracteres por linha e por segundo, sincronia e gramática perfeita. Algumas séries eram traduzidas em 12 horas, outras precisavam de sete dias para ficar prontas. Enquanto isso, o site do InSUBs costumava mostrar o progresso do trabalho.

Na alta temporada das séries, os colaboradores traduziam e revisavam 15 produções ao mesmo tempo. Muitos voluntários, segundo a administradora, se firmaram no ramo e foram contratados por grandes empresas de legendagem.

"Eles se dividem em dois grupos: trabalhadores que têm como hobby a legendagem ou estudantes com tempo livre e que querem aprender algo novo ou aprimorar o inglês. Nunca tivemos nenhum tipo de recompensa pelo nosso tempo. E, sim, alguns se dedicaram e estudaram, até fizeram graduação na área de tradução e enveredaram para este mercado de trabalho", afirma.

Fonte: UOL Cinemas // Paulo Pacheco