Homem-Aranha: Longe de Casa mostra que Universo Marvel segue em boas mãos

Publicado em 27/06/19 16:00

Homem-Aranha conseguirá ser o "sucessor" do Homem de Ferro? A resposta é simples: com certeza. Homem-Aranha: Longe de Casa, que estreia nos cinemas dia 4 de julho, traz a melhor participação do herói do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU), apoiado pelos amigos de escola e um novo --e excelente--novato, o Mysterio.

Oito meses após os eventos de Vingadores: Ultimato, Peter Parker (Tom Holland) quer tirar férias e relaxar um pouco. Ele ainda se sente culpado pela morte de Tony Stark, seu mentor, que foi transformado em um salvador para a população. Junto de amigos de escola, ele embarca para a Europa, mas é lá que novos problemas surgirão.

Como Kevin Feige, chefão da Marvel Studios, já revelou, o novo filme do Cabeça de Teia encerra a Fase 3 do MCU. Isso significa que os Vingadores são lembrados a todo momento, principalmente aqueles que morreram em batalha. Ainda assim, Longe de Casa traz frescor e aponta possibilidades praticamente infinitas à Marvel, que devem ser exploradas nos próximos anos.

Divulgação
Homem-Aranha (Tom Holland) e MJ (Zendaya) em cena de Homem-Aranha: Longe de Casa Imagem: Divulgação

Você já sabe pelos trailers que Nick Fury segue o herói até a Europa e faz o papel de pai chato: afinal, você quer ser um adolescente ou carregar a responsabilidade que Tony Stark esperaria? Uma pressão nada fácil de se lidar, mas que pode ser compartilhada com outro herói. No caso, o Mysterio, saído direto de um multiverso após o estalar de dedos de Thanos.

A Marvel vinha flertando com Jake Gyllenhaal há anos, tentando encontrar o melhor papel para o ator. Em dezembro, na CCXP, ele foi anunciado como um dos grandes vilões dos quadrinhos do Aranha, mas na nova adaptação ele chega para ajudar.

Peter e Quentin Beck (nome verdadeiro do personagem novato) se complementam em batalhas contra os Elementais, os vilões do filme, criaturas que nasceram em órbitas estáveis, dentro de buracos negros, e são formadas por elementos primários: ar, água, fogo e terra.

Romance adolescente e a "cara" da Marvel

Novamente, Jon Watts consegue trabalhar de forma excepcional com o legado de um dos heróis mais populares do mundo. Longe de Casa exala inocência, humor e o carisma que transformaram o Teioso em um astro pop.

O filme tem clima de comédia adolescente, com o desenrolar do amor entre Peter e MJ (Zendaya), e surpreende com a rivalidade com um braço direito improvável, Ned (Jacob Batalon) --o "cara do computador". Os personagens secundários ajudam a carregar o interesse pela trama, mas no fundo nem é preciso muito esforço. É quase impossível não gostar do Homem-Aranha.

Divulgação
Homem Aranha e Mystério em cena de Longe de Casa Imagem: Divulgação

Tudo isso vem muito de Tom Holland incorporando novamente a personalidade do herói criado por Stan Lee e Steve Ditko. A timidez perto de MJ, a amizade com Ned, a relação familiar com a tia May, as excelentes cenas de ação e os momentos de superação do protagonista fazem de Longe de Casa um dos melhores filmes de super-heróis da história.

E é um filme da Marvel, vamos lembrar, então teremos surpresas --e algumas das melhores do MCU. Um resumo sem --muitos-- spoilers: o longa destrói teorias pós-Ultimato, cria novos rumos para o futuro da Marvel e coloca Homem-Aranha na posição de um representante à altura do Homem de Ferro.

Mysterio apresenta os monstros Elementais de Homem-Aranha EditarDownload

UOL Entretenimento

Fonte: UOL Cinemas // Rodolfo Vicentini