Documentário 'A Máfia dos Tigres' parece ficção exagerada, mas é vida real

Publicado em 28/03/20 05:00

Em tempos em que nada parece muito normal, uma história insana pode até soar natural. E é essa sensação de que a realidade é mais estranha do que a ficção que fica ao assistir o surreal "A Máfia dos Tigres", um documentário dividido em sete partes, de cerca de 40 minutos cada, que estreou na Netflix.

Ao falar sobre a máfia de tigres e animais selvagens nos Estados Unidos, a série documental se concentra na trama de Joe Exotic, nome artístico de Joseph Maldonado-Passage. Ele é um excêntrico e carismático empresário, dono de um zoológico em Oklahoma, gay, polígamo, cantor country amador, com uma fixação pela fama, dono de uma coleção de armas e um característico mullet platinado.

Joe Exotic - Divulgação
Joe Exotic
Imagem: Divulgação

Em uma fazenda, ele cria mais de 1.200 bichos selvagens, entre tigres, leões, jacarés, ursos e chimpanzés. Eles são domesticados para que possam ter proximidade com o público, que paga pela experiência de acariciar um filhote ou tirar selfies. Um negócio lucrativo. Essa exploração chamou a atenção de Carole Baskin, uma ativista dos direitos dos animais que vive na Flórida e, lá, mantém o Big Cat Rescue, que ela chama de santuário para animais vítimas de abuso.

Enquanto Carole gasta milhões de dólares, herdados de seu ex-marido (desaparecido misteriosamente, em uma trama paralela bem maluca), para acabar com o zoológico de Joe Exotic, ele, por sua vez, entra numa caçada para tentar provar que a ativista age com hipocrisia ao manter seu refúgio com bichos presos e ainda explorar mão de obra de voluntários.

Carole Baskin, a ativista dos direitos dos animais - Divulgação
Carole Baskin, a ativista dos direitos dos animais
Imagem: Divulgação

Os diretores Eric Goode e Rebecca Chaiklin (sob produção do mesmo estúdio que lançou "Fyre Festival", outro documentário intrigante) começam pelo fim: Joe está preso por, supostamente, ter orquestrado um plano de assassinato por aluguel contra Carole, além de uma série de violações da lei. Revelar mais do que a rivalidade obsessiva entre os dois pode frustrar as demais surpresas que o documentário desenrola.

A história é entrelaçada por uma série de personagens excêntricos que vivem à margem da sociedade. Há o magnata que age como líder de um culto sexual, o produtor de TV que se muda para o zoológico para criar um reality show, o vigarista que aplica um golpe bem covarde. Cada um deles que vai aparecendo traz uma peculiaridade e adiciona ainda mais intriga.

Ninguém ali é mocinho, todos andam em areia movediça o tempo todo. E, por meio dos animais, revelam a imperfeita natureza humana ao lidar com poder, ego, dinheiro, moralidade, ganância, justiça e a falta dela. Quando você acha que a narrativa já está deplorável o bastante, ainda pode piorar. Em um momento você está passando raiva com o que vê; em outro, está rindo dos absurdos que parecem ficção.

"A Máfia dos Tigres" entrega entretenimento e é fascinante tanto por seus personagens quanto por seus casos de mistério. É importante lembrar que ali também está uma história real de crime, envolvendo exploração de bichos em extinção, fraudes e até encomenda de assassinato. Ainda que pareça um esquete de humor exagerado, é só a vida real. E, por isso mesmo, irresistível.

Fonte: UOL Cinemas // UOL