Duna | Denis Villeneuve explica visual das minhocas de areia do filme

Publicado em 14/10/21 00:00

Um dos elementos mais fascinantes da mitologia de Duna, as minhocas de areia do planeta Arrakis são vitais para a jornada de Paul Atreides (Timothée Chalamet) contra os Harkonnen. Falando à Entertainment Weekly, o diretor Denis Villeneuve deu mais detalhes sobre o processo criativo por trás do desenvolvimento da mais nova versão cinematográfica das enormes criaturas.

"Para nós, o mais importante era que a minhoca parecesse com um animal que faz sentido. Para viver milhões de anos no deserto, você precisa de uma espécie que evoluiu e construiu uma proteção contra elementos", afirmou o cineasta. "A pele tem de parecer grossa o bastante para se proteger no pior dos ambientes. O elemento mais importante é que, quando você o vir, ele tenha uma qualidade muito sagrada. Você sentirá que está diante de uma enorme presença. Um tipo diferente de inteligência, algo que está além da nossa maneira de pensar".

Na nova adaptação de Duna, Paul Atreides (Chalamet) é um aristocrata cuja família aceita controlar o planeta-deserto Arrakis, produtor de um recurso valioso e disputado por diversas famílias nobres. Ele é forçado a fugir para o deserto - com a ajuda de sua mãe - e se junta a tribos nômades, eventualmente liderando-as por conta de suas habilidades mentais avançadas.

O livro de Frank Herbert é conhecido como uma das obras mais complexas da história da ficção científica, e já rendeu uma adaptação para as telonas dirigida por David Lynch, em 1984. No Brasil, os livros da franquia Duna são publicados pela Editora Aleph.

Duna estreia em 21 de outubro de 2021 nos cinemas brasileiros e, de acordo com a janela de exibição, deve entrar 35 dias depois para o catálogo da HBO Max.

Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

 

Fonte: Omelete // Eduardo Pereira