Chernobyl: Fotógrafa fala sobre controverso ensaio sensual feito na região

Publicado em 14/06/19 20:00

Veronika Rocheva virou manchete após fazer um ensaio sensual em Chernobyl, na Ucrânia. A modelo foi criticada por querer lucrar com a fama da série da HBO e de desrespeitar a memória de quem sofreu com a tragédia.

Em entrevista ao site russo Yandex Zen, a fotógrafa Angelina Protein garantiu que as fotos não foram tiradas em Chernobyl, mas, sim, em Novosibirsk, na Rússia, a aproximadamente quatro mil quilômetros de distância da região onde a tragédia ocorreu.

Ela afirmou que estava tirando fotos para bancos de imagens e que os registros que viralizaram, com modelos seminuas, foram feitos apenas para arquivo pessoal. O local em questão, segundo a profissional, foi escolhido pela proximidade visual com Chernobyl e que usar a marcação de Pripyat (cidade fantasma próxima a usina) nas postagens foi apenas uma referência.

"Sim, a geolocalização foi indicada, mas todos sabem que você pode especificar qualquer lugar no Instagram. Eu posso deitar na minha cama e colocar a geolocalização da Tailândia", disse.

-ph: @alkrud_ & @angelinaprotein . . . . -assistant: @d._kramer

Uma publicação compartilhada por @ nz.nik em

A fotógrafa criticou a imprensa internacional por divulgar o caso mesmo sem ter falado com ela ou com as modelos. Segundo Angelina, a controvérsia começou apenas pela geolocalização da foto e a mídia aproveitou o sucesso da série Chernobyl para criticá-la.

A fotógrafa ainda apontou que acha válido que visitas guiadas sejam feitas na região onde ficava a usina, para que as pessoas aprendam mais sobre a tragédia.

Porém, o que Angelina vem postando no Instagram desde a semana passada vai contra o que ela declarou para o site. Em sua conta pessoal, a fotógrafa compartilhou fotos do ensaio, com pessoas usando roupas especiais contra a radiação, e convida quem tiver interesse para ir com ela a Pripyat fazer novas fotos.

Já a modelo Veronika Rocheva está aproveitando os momentos de fama. Ela compartilhou nos Stories jornais falando sobre a controvérsia e como as buscas na internet com seu nome aumentaram mais de 10 vezes desde então.

Fonte: UOL Cinemas // Rodolfo Vicentini