Emocionada, Bárbara Paz diz que filme sobre Babenco é 'carta de amor'

Publicado em 19/11/20 16:00

Emocionada, Bárbara Paz diz que filme sobre Babenco é 'carta de amor'

Bárbara Paz cruza o tapete vermelho do Festival de Veneza
Bárbara Paz cruza o tapete vermelho do Festival de Veneza
Daniele Venturelli/WireImage

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

19/11/2020 15h16

A vida e a morte de Hector Babenco vão representar o Brasil no Oscar. "Babenco - Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou" conta com a direção da viúva Bárbara Paz e retrata a paixão do cineasta argentino por contar histórias através das lentes, além de retratar seus últimos dias de vida.

Continua depois da publicidade

Splash conversou com Bárbara, que se disse emocionada com a indicação. O filme, que teve a estreia adiada por conta da pandemia do novo coronavírus, entrará em cartaz no dia 26 de novembro.

A atriz e diretora conheceu o cineasta em 2007 e foi casada com ele até 2016, ano de sua morte por decorrência de uma parada cardíaca.

Fui dormir super feliz, emocionada. A indicação é uma alegria imensa, mas ainda tem um longo caminho. Esse filme é uma carta de amor, um poema. Eu não queria mostrar só o final, mas o que foi Hector Babenco durante sua vida.

Em diversos momentos do filme, Babenco reforça que o cinema não faz parte da sua vida. Ele é a sua vida. Esse desejo por contar histórias nos rendeu trabalhos como "Pixote" (1980), "Carandiru" (2003) e "O Beijo da Mulher Aranha" (1985). Este último concorreu ao Oscar de melhor filme.

Cena do filme Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cena do filme Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou
Imagem: Arquivo pessoal
Continua depois da publicidade

Com seus filmes, o argentino retratou o Brasil como poucos. Em 1977, ele dirigiu "Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia" e se naturalizou brasileiro no mesmo ano.

Ele é o mais brasileiro entre os argentinos [risos]. Ele se sentia um exilado, mas se apaixonou pelo Brasil. Quando dirigiu 'Lúcio Flávio', ele decidiu que tinha que se naturalizar. Ele sentia que não poderia contar a história de um brasileiro sem ser um.

No dia 9 de fevereiro, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgar uma lista de pré-indicados, e no dia 15 de março a lista final dos indicados ao Oscar. A premiação do Oscar acontecerá em 25 de abril de 2021.

Fonte: UOL Cinemas