Antes de "Rocketman", Taron Egerton fez sucesso com cinebiografia de atleta

Publicado em 04/06/19 05:00

Taron Egerton está nos holofotes por personificar Elton John na cinebiografia "Rocketman", que narra a trajetória do artista britânico. A resposta pela boa repercussão da atuação de Egerton talvez esteja em sua imersão no personagem, uma experiência que já teve em 2015, quando viveu o atleta Michael Edwards, o primeiro britânico a representar seu país no salto de esqui em um Olimpíada desde 1928.

Não por acaso, "Eddie the Eagle", assim como "Rocketman", também foi dirigido por Dexter Fletcher, repetindo uma dobradinha entre diretor e ator que já havia recebido elogios naquela época.

Assista ao trailer de "Eddie the Eagle", com Taron Egerton

UOL Entretenimento

"Eddie the Eagle" tem como pano de fundo um drama baseado em esportes, mas permite-se dar risada do absurdo da situação inúmeras vezes. Desde a infância, Michael Edwards era obstinado com a ideia de competir em uma Olimpíada, mas sua falta de aptidão atlética sempre barrou seu sonho.

Em certo momento, descobre uma "brecha" para conseguir participar da competição: entrar na equipe da Olimpíada de Inverno, já que seu país não participava da competição de salto de esqui há pelo menos seis décadas.

Diante de diversas negativas impostas pela confederação, ele treinou de forma quase amadora para conseguir os índices necessários para chegar na Olimpíada de Inverno de 1988, em Calgary.

Na época, Egerton explicou para o site AZcentral sobre a responsabilidade em representar uma pessoa de verdade nas telas. "Não é exatamente uma biografia, é baseada em um evento de sua vida. Não era algo 'científico' como interpretar Martin Luther King seria. Mas nós queríamos que ele gostasse", explicou.

O longa reconta o grande feito do esquiador britânico, mas com liberdade de criar alguns personagens, como o técnico Bronson Peary, vivido por Hugh Jackman, que não existiu na vida real.

Mesmo assim, "Eddie the Eagle", assim como "Rocketman" e outras cinebiografias recentes, teve grande êxito em recriar cenas de maneira muito fiéis.

Divulgação
Taron Egerton e Hugh Jackman em "Eddie the Eagle" (2015) Imagem: Divulgação

Resenhas publicadas na época, como do site ScreenDaily, temiam que Egerton e seu personagem acabassem em segundo plano por dividir a tela com Jackman, além de Christopher Walken. Diferente disso, o ator foi elogiado por fazer a representação espírito "underdog" de Eddie, obstinado por atingir seu objetivo sem se preocupar com as consequências, que muitas vezes, como bem aponta o filme, poderia ser sua própria morte.

Um grande trunfo do ator britânico foi trabalhar de maneira minuciosa as expressões do atleta. "Ele tinha um queixo bem proeminente e eu queria passar isso. Foram coisas que simplesmente aconteceram. Elas surgiram a partir do roteiro, mas também simplesmente por tentar ficar parecido com ele", disse.

"Fiquei impressionado com a história e foi empolgante interpretar alguém tão diferente". Se Taron Egerton disse isso em 2016, sobre Eddie, imagine o que ele pensou ao ser convidado para fazer Elton John em "Rocketman" anos mais tarde.

Fonte: UOL Cinemas // Osmar Portilho