Alec Baldwin diz não ter puxado o gatilho da arma no set de Rust

Publicado em 01/12/21 18:00

Alec Baldwin diz não ter puxado o gatilho da arma que matou a diretora de fotografia, Halyna Hutchins, no set do filme Rust. O ator, que segurava a arma que feriu também o diretor Joel Souza, falou sobre o incidente em uma entrevista com o jornalista George Stephanopoulos

O especial ainda não foi ao ar - e será lançado amanhã, dia 2 - mas o comercial já revela cenas com o ator, e em uma ele responde à indagação de Stephanopoulos de que o tiro não estava no roteiro: "não estava no roteiro, para o gatilho ser puxado", questiona. O ator então responde que o gatilho não chegou a ser puxado: "eu não puxei o gatilho". Ele complementa: "eu nunca apontaria uma arma para alguém e puxaria o gatilho. Nunca". Confira:

Segundo disse o xerife Adan Mendoza, um "projétil de chumbo" foi recuperado do ombro do diretor de Rust, aparentemente, da mesma bala que matou Hutchins. De acordo com a investigação realizada, o cartucho da arma utilizada por Baldwin contava tanto com balas vivas, como mortas. Isso significa que parte da munição ainda era utilizável para o disparo.

Recentemente, o primeiro assistente de direção em RustDave Halls, admitiu que não verificou todas as munições da arma. Segundo o LA Times, foi confirmado que Halls quebrou os protocolos de segurança, e não verificou todas as munições disponíveis na arma antes de repassá-la para Baldwin. 

Geralmente, uma arma de hélico, e seus disparos, passam por várias inspeções como parte dos regulamentos de segurança no local para garantir que está carregada — ou não — com munição real.

Hutchins morreu após ser atingida por um fragmento disparado pelo artista Alec Baldwin durante as filmagens do Velho Oeste. No incidente, o diretor do filme, Joel Souza, também foi atingido, mas sobreviveu.

Hutchins se formou no Instituto de Cinema Americano em 2015 e havia trabalhado em diversos curta-metragens antes de assumir uma posição em Archenemy (2020), com Joe Manganiello. Em 2019, ela foi considerada uma "estrela em ascensão" pela revista American Cinematographer.

Fonte: Omelete // Julia Sabbaga