Hollywood Vermelha

Hollywood Vermelha

Documentário Duração: 114

O filme nasceu de um artigo controverso escrito por Thom Andersen em 1985, onde ele defende que os artistas incluídos na Lista Negra hollywoodiana, surgida na década de 1940, eram relevantes e dignos de pesquisa. Em 1994, em parceria com o cineasta e teorista Noël Burch, publicou um livro de língua francesa chamado Les Communistes de Hollywood: Autre chose que des martyrs, e logo depois lançou Hollywood Vermelha. O filme utiliza cenas instigantes de filmes da época para retratar como muitos dos artistas foram condenados por defender opiniões socialmente progressistas. Entre as obras destacadas estão Mulher marcada (1937), de Lloyd Bacon e Michael Curtiz, A força do mal (1948), de Abraham Polonsky, Justiça injusta (1950), de Cy Endfield, Johnny Guitar (1954), de Nicholas Ray e O sal da Terra (1954), de Herbert J. Biberman, as quais são intercaladas por entrevistas com os quatro roteiristas e diretores remanescentes da época: Polonsky, Paul Jarrico, Ring Lardner Jr. e Alfred Levitt. Ao discutir a Lista Negra, o filme também aborda a postura isolacionista dos Estados Unidos na Guerra Civil Espanhola, na Segunda Guerra Mundial, na Guerra Fria, entre outras. Em 2013, Andersen fez uma versão remasterizada do filme para substituir as cenas tiradas de fitas VHS por DVD e Blu-ray. Algumas cenas foram reeditadas e o filme reduzido em quatro minutos, sem alterar o roteiro.

Título original: Red Hollywood

País de origem: EUA

Data do lançamento: 16/03/2017

Diretor: Thom Andersen e Noël Burch