João Paulo Cuenca

João Paulo Cuenca (Rio de Janeiro, 4 de agosto de 1978) é um escritor e cineasta argentino-brasileiro.

É autor dos romances "Corpo presente" (2003). “O dia Mastroianni" (2007), “O único final feliz para uma história de amor é um acidente” (2010) e "Descobri que estava morto" (2016), eleito o melhor romance do ano pelo Prêmio Literário Biblioteca Nacional e finalista do Prêmio Jabuti. Atualmente é Mestrando do programa de Teoria Literária e Literatura Comparada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP.

Seus livros foram traduzidos para oito idiomas e tiveram os direitos comprados por onze países. Em 2007, foi selecionado pelo Festival de Hay um dos 39 jovens autores mais destacados da América Latina e em 2012 foi escolhido pela revista britânica Granta um dos 20 melhores romancistas brasileiros com menos de 40 anos.Desde 2003 escreveu crônicas semanais para os principais veículos do país como Tribuna da Imprensa, Jornal do Brasil, O Globo, Folha de S.Paulo, The Intercept Brasil e DW Brasil. Uma antologia de suas crônicas foram reunidas em "A última madrugada" (2012).

Em 2016 dirigiu seu primeiro longa-metragem, "A morte de J.P. Cuenca", que foi selecionado para o Festival do Rio e para a Mostra Internacional de Cinema de SP no ano seguinte. O projeto foi escolhido em 2013 para participar do primeiro workshop do Bienalle College - Cinema Project, realizado pela Bienal de Veneza e ganhou o edital de coprodução da RioFilme com o Canal Brasil no mesmo ano.

A estreia do filme na Europa foi na mostra competitiva principal do festival CPH:DOX, na Dinamarca, em novembro de 2015. O longa-metragem foi selecionado para festivais como Punto de Vista (Espanha, 2016), BAFICI (Argentina, 2016), New Horizon IFF (Polônia, 2016), NEMAF - Seoul Intl. NewMedia Festival (Coreia do Sul, 2016), Pacific Meridian IFF Vladivostok (Russia, 2016), The Montreal Festival du Nouveau Cinéma (Canada, 2016), Lakino – Latin American Film Festival Berlin (Alemanha, 2016), entre outros.

Participou de leituras como escritor convidado na PUC-Rio (2004), UFRJ (2004), Sorbonne Nouvelle - Paris III (2006), Columbia University (2011), Princeton University (2011, 2014), Heidelberg University (2012), Salzburg University (2012), Yale University (2014), Brown University (2013, 2014), UCLA (2014), Stanford (2014), University of Illinois (2014), entre muitas outras. Foi convidado para festivais literários como Hay Festival Cartagena de Indias (Colombia, 2008, 2013, 2017), Berlin International Literature Festival (2012, 2013), Frankfurt Book Fair (2012, 2013, 2018), Xalapa Hay Festival in Mexico (2012), Guadalajara Book Fair (2012), London Brazilian Festival (2010), Americas Society Symposium on Brazilian Literature (New York, 2011), Festival Vivamerica (Madrid, 2011), Correntes d'Escritas (Portugal, 2008, 2009, 2011) entre outros.

Foi o curador da programação do café literário da Bienal do Livro da Bahia em 2013 e da Bienal do Livro de Belo Horizonte em 2014. Em 2010, foi o curador do projeto literário “Amores Expressos” que levou 16 autores brasileiros a escrever livros em 16 cidades ao redor do mundo. Ganhou uma Civitella Ranieri Writing Fellowship em 2013 e foi escritor residente do Programa Avançado de Cultura Contemporânea of UFRJ (PACC) em 201].